Um dos temas desse blog é produtividade e eu já escrevi um pouco sobre o que significa produtividade, para mim, nesse texto aqui. No entanto, acho que não expliquei o suficiente sobre o que não significa a produtividade. Na verdade, só gostaria de desabafar sobre como nunca estamos satisfeitas e como a sociedade incentiva esse sentimento.

 

Não quero dizer que não devemos buscar sermos sempre pessoas melhores. Acho essencial essa atitude de refletir sobre quem somos e como podemos mudar afim de encontrar melhores maneiras de existir no mundo e de lidar com ele. O conformismo não é um lugar bom e sair da zona de conforto é fundamental para o nosso crescimento! O que não significa que não podemos estar contentes.

 

O problema de confundir conformismo e contentamento é a pressão que nos colocamos para sermos “melhores” de acordo com definições alheias. Afinal, o “meu” melhor não é o “seu” melhor. Nós não passamos pelas mesmas dificuldades, não compartilhamos da mesma história ou dos mesmos valores. Acreditar que podemos sempre “mais” pode nos adoecer. Veja, eu “posso” praticar exercícios físicos todos os dias. Mas a que custo? A troco de quê? Você “pode” cursar 7 disciplinas na faculdade, mas este cenário te faz bem? Vale a sua saúde?

 

Acredito que o contentamento caminhe de mãos dadas com a gratidão. É uma forma de ver o mundo. Quando somos conformados, não nos esforçamos para mudar. Agora, quando somos contentes, abraçamos nossas limitações e tentamos ser “melhores” naquilo que nos importa, e de acordo com os nossos valores. Sem pressão, sem julgamentos. Mudamos, melhoramos e crescemos porque acreditamos no que fazemos. Somos sempre 100% do que podemos ser agora.

 

E, de fato, sempre podemos melhorar. O copo está sempre cheio, mas sempre é possível escolher um copo maior para quando estamos transbordando de nós! E esse é um processo que não se pode acelerar, só se pode viver, só vale se for natural. Nem sempre precisamos de um copo maior, às vezes precisamos de um copo mais bonito. E isso é contentar-se: é amar seu copo, é aceitá-lo, é decorá-lo, é fazê-lo bem seu até que transborde!

 

Essa é uma escolha diária. Sugiro que você proclame a gratidão todos os dias! Para que sua vida seja melhor, às vezes você apenas precisa percebê-la de outro ângulo.

 

No fim das contas, ser produtivo não é fazer sempre mais. É viver cada vez com mais sentido, com mais qualidade. E isso, às vezes, significa fazer menos. Esse é o caminho do contentamento e da gratidão.

 

Se esse texto fez sentido para você, comenta aqui embaixo.

Se você também acredita nesse caminho, me conta. Vamos nos unir. <3

Sobre contentamento e gratidão
Classificado como:        

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *