princípios para organização da casa

princípios para organização da casa
https://br.pinterest.com/pin/141722719513691026/

no último texto, descrevi quais são as minhas políticas pessoais para o uso de redes sociais e como elas afetam a minha organização no dia a dia. hoje, vou criar duas listas: uma de princípios gerais de organização da casa e outra com os meus princípios de organização.

princípios gerais de organização para a casa

entendo que são princípios gerais de organização aqueles que são fundamentais para qualquer pessoa. existe certo e errado. são valores que não dependem de personalidade. são os elementos dos quais não podemos abrir mão ao nos organizarmos. com relação à organização da casa, vale notar os seguintes:

  • organização e beleza não são sinônimos. você pode ter ambientes organizados e pouco agradáveis esteticamente, do mesmo modo que você pode ter ambientes esteticamente agradáveis e nada organizados.
  • um ambiente organizado é um ambiente que facilita a vida. você consegue encontrar o que procura com facilidade. você consegue arrumar as coisas em seus lugares com pouco esforço.

o que isso significa no dia a dia

você percebe que as louças moram mais no escorredor do que no armário? talvez isso aconteça porque o seu armário é de super difícil acesso. há outro armário onde se possa armazenar as louças do dia a dia?

a melhor opção pode não ser a mais bonita – mas, necessariamente, é aquela que mais facilita o seu dia a dia.

eu contei, neste post, como por muito tempo as minhas roupas íntimas eram guardadas na segunda gaveta da minha escrivaninha – porque fazia sentido que elas ficassem guardadas ali!

a sua desorganização já te oferece pistas para a sua ação.

meus princípios pessoais de organização para a casa

estes são os princípios que variam de pessoa para pessoa. não há certo e errado: há o que funciona para cada um. eu funciono assim:

  • eu odeio faxinar. não gosto de lavar muita louça de uma vez. detesto ter que separar uma quantidade enorme de tempo pra limpeza. então, eu me ajudo no dia a dia. sou bastante rígida com relação a rotina de manutenção da limpeza. guardamos e lavamos a louça de duas a quatro vezes todos os dias. se o fogão suja feio (sabe aquele molho de tomate que respinga?), limpamos na hora – não esperamos a limpeza do final de semana.
  • não me importo com a sujeira, a não ser que ela grite na minha cara. isso significa que: o que puder esperar a faxina do final de semana, que espere.
  • eu me importo com farelos. o homem se importa com chão sujo. aqui em casa, eu sou aquela que passa pano na mesma e limpa a pia da cozinha todos os dias. por outro lado, não conte comigo para varrer ou passar pano no chão durante a semana. quem faz isso é o homem – porque ele se importa. e assim funcionamos.
  • eu faço questão da ordem. a casa pode estar nojenta, mas eu me sinto mais calma quando cada coisa está em seu lugar. louça suja na pia. roupa limpa guardada. a manteiga que já foi utilizada já está de volta em seu lugar de origem. isso ajuda muito na minha ansiedade. tirar a roupa seca do varal e guardar é um saco? é. mas qual é a outra alternativa? deixa a roupa toda acumular em cima da minha cômoda? passar uma hora guardando roupas em vez de cinco minutos?

esses valores foram percebidos no meio do caminho. eu não os escrevi num papel para então pensar sobre a minha rotina. as coisas foram acontecendo ao mesmo tempo. fui vivendo, testando, olhando para minha rotina e me entendendo. entendendo como eu preferia viver no dia a dia. o que me fazia bem e o que me fazia mal. o que importa é: estes princípios afetam minha rotina. afetam o meu dia a dia.


provavelmente deixei de fora algum princípio. acredito, no entanto, que os mais importantes estejam aqui! espero que te inspirem e te ajudem a entender sobre o seu processo de organização da casa.

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *